Grupo Misericórdia Divina realiza I Retiro Espiritual

Por Sílvia Costa
Um momento de reflexão sobre a vida espiritual à luz do Evangelho, a partir das palavras de São Mateus: “Vois sóis o sal da terra e a luz do mundo”. Assim foi o I Retiro do Grupo de Oração Misericórdia Divina, da Paróquia e Santuário Nossa Senhora de Fátima, realizado de 6 a 8 de setembro, no Bairro Henrique Jorge, em Fortaleza (CE). Os cerca de 20 participantes chegaram ao local na noite da sexta-feira (6), lá permanecendo até a tarde do domingo (8), quando se deslocaram ao Bairro de Fátima para participar da celebração da Santa Missa, presidida pelo Padre Ivan de Souza.
Foram dois dias de aprofundamento na fé. Após as pregações, as equipes se reuniam para compartilhar o que viveram nos “desertos”, minutos de solidão em que cada um meditava sobre o que ouviu para depois compartilhar com o grupo. As tardes do retiro foram enriquecidas pelo Terço da Misericórdia, rezado na hora do sofrimento máximo de Jesus na cruz, às 15 horas. À noite os participantes tiveram momento de descontração com louvor e karaoquê.
“Como posso ser luz do mundo e sal da terra?”, indagou aos presentes o Padre Josieldo Nascimento ao pregar na manhã de sábado (7). Para ele, isso só é possível tendo encontro com a Divina Misericórdia. “É fundamental ser alcançado pela misericórdia, ter um encontro pessoal com Jesus”, afirmou, ressaltando que a misericórdia é fonte de alegria, serenidade e paz. De acordo com ele, Lucas é o evangelista que mais fala sobre misericórdia. “O retiro é essa revisão de vida, é esse momento de graça”, disse o  padre, recomendando que cada um vivesse com intensidade aquele recolhimento.
O Grupo Misericórdia Divina pauta sua atuação nas 14 obras de misericórdia, que se dividem entre as corporais e as espirituais. As obras corporais são exercitadas pelos membros do grupo semanal, mensal e semestralmente, seja doando pão aos que têm fome, seja visitando enfermos e presos. Uma ação semanal do grupo é visitar os moradores de rua, quando oferece lanche, doa roupas e leva a palavra de Deus, nas noites de quinta-feira, às ruas centrais de Fortaleza. São igualmente exercitadas as obras espirituais, como ser tolerante para com o outro, dar bons conselhos, perdoar os que nos
ofendem e levar a palavra de esperança aos tristes.
Na manhã do sábado, o primeiro do mês de setembro, Wesley Castro, do Movimento da Mensagem de Fátima, falou sobre as aparições de Nossa Senhora aos pastorinhos Jacinta, Francisco e Lúcia. Ele discorreu sobre a devoção ao Imaculado Coração de Maria, destacando a importância da oração diária do rosário (quatro terços, com meditação dos mistérios). Conforme Wesley, o Papa João Paulo II instituiu as indulgências plenárias para quem rezar um rosário em comunidade ou família, desde que tenha confessado, comungado e feito orações pelas intenções do Santo Papa.
Outro pregador do sábado foi Hugo Alencar, que levou o grupo a refletir sobre a missão de cada um, lembrando que “precisamos ser luz no mundo das trevas” e que as coisas do mundo são fugazes, mas o “reino de Deus é para sempre”. A última pregação
daquele dia ficou a cargo de Hayanne Neves, que iniciou lendo o capítulo 3 de Colossenses, destacando o versículo 17, que recomenda fazer tudo pensando em Deus. “Tudo quanto fizerdes, por palavra ou por obra, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai” (Cl 3,17).
Ela lembrou a importância das penitências para superar os vícios e adquirir virtudes.  A pregação teve como enfoque o dom da fortaleza, conforme inspiração do apóstolo Paulo. De acordo com Hayanne, essa virtude traz prontidão, generosidade e humildade.
“Só quem consegue fortaleza é quem está cheio de Deus, pleno”, resume Hayanne, ressaltando que a comunhão é o alimento espiritual que ajuda a ser forte.
O pregador da manhã de domingo (8) foi Laerte Peixoto, do Instituto Hesed, que iniciou sua fala refletindo sobre os planos de Deus para cada um de nós. Ele lembrou a Santa Ceia, na qual os discípulos ainda não compreendiam o plano de salvação e o sacrifício de Cristo que viria. Ressaltou a importância do ensinamento da servidão, conforme a orientação de Jesus, que disse: “Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!” (Mc 9,35).
Lembrou José e Maria como modelos de humildade. “Eis aqui a serva do Senhor, faça-me em mim segundo a Sua vontade” (Lc 1,38). Para servir ao irmão temos que ter humildade que nos levará a saber o que o outro precisa. Laerte defendeu que para isso temos que ter uma vida de oração e meditação da palavra de Deus. Devemos entregar 10% das 24 horas do nosso dia a Deus, ou seja, 2 horas e 40 minutos de oração diária. Ele assim comentou sobre as ações do Grupo Misericórdia Divina : “Quando vocês vão ao presídio e aos hospitais, vocês estão fazendo justamente a vontade de Deus. Esse caminho requer disposição e uma vida de intensa oração. Precisamos estar confiantes nessa
vontade do Senhor”. E acrescentou: “O exemplo que ele nos dá é o exemplo que devemos seguir: da entrega, da confiança”. Ele lembrou ainda o apóstolo Paulo, que diz que a humildade é gerada pela caridade. Citou também Santa Teresa de Calcutá, ressaltando que tudo o que temos (corpo, tempo, saúde) é dom de Deus e deve ser usado não em favor próprio, mas em benefício do irmão. Mencionou os anos em que Santa Teresa de Calcutá viveu seu “deserto”. “A gente deve entregar-se totalmente à vontade de Deus, mesmo quando a gente se encontra no deserto”, finalizou.
Após a pregação de Laerte, o grupo teve um momento mariano conduzido por Daniel Torres, da Coordenação do Grupo de Oração. Ele lembrou que o pelicano, um dos símbolos do Cristianismo, que bica a própria carne para dar à cria, numa demonstração de amor incondicional. “De todos os tipos de amor que temos na terra, o de mãe é o que mais se assemelha ao de Deus”, constatou Daniel. “Que possamos fazer nossas experiências transformando o nosso dia a dia”, enumerando as obras de misericórdia praticadas pelo grupo, que em novembro completará dois anos de criação.
Ele anunciou que o retiro será realizando uma vez ao ano, assim como o Seminário de Vida no Espírito Santo, e que o grupo de oração está aberto a novos integrantes, sendo suas reuniões aos domingos, às 17 horas, no Santuário de Fátima. “O nosso desejo é de avançar para águas mais profundas”, finalizou, pedindo que cada um pensasse em novas ações para serem implementadas no futuro pelo grupo.
Socorro Costa, uma das participantes do Grupo de Oração, diz o que o retiro representou para ela. “Gostei bastante, inclusive com minha experiência com Nossa Senhora. Eu tive uma experiência muito forte com Nossa Senhora de Fátima”, revela. Já Nayla Nobre, da Coordenação do Grupo de Oração, conclui que o retiro foi um momento de intenso crescimento espiritual, principalmente pelo fato do carisma do grupo ser a misericórdia. “Não faltou Jesus, não faltou Maria e não faltou nada. Graças foram alcançadas, então
é muita alegria. Foi muito positivo em todos os aspectos”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × dois =